Valsas de Amor e a Agonia de Um Titã

Orq. Metropolitana

música
2 dezembro 2022
sex: 19h
Museu Nacional dos Coches / Picadeiro Real
Valsas de Amor e a Agonia de Um Titã

A primeira vez que Olivier Cuendet se apresentou à frente da OML aconteceu em 1993. Nessa ocasião juntou-se a Paulo Gaio Lima na interpretação do Concerto para Violoncelo N.º 1 de Haydn. Desde então, o maestro suíço já dirigiu a orquestra mais de quarenta vezes e manteve sempre uma forte amizade com o violoncelista e professor que nos deixou em maio de 2021.

Neste seu primeiro regresso a Lisboa após aquela data, traz consigo um programa que revela facetas menos conhecidas dos legados de Brahms e de Beethoven: do primeiro, orquestrações de algumas das Valsas de Canções de Amor originalmente pensadas para os salões privados vienenses dos anos 1870; do segundo, a música que compôs para um espetáculo de dança inspirado no mito de Prometeu. Pelo meio, Cuendet faz estrear uma sua composição dedicada a Gaio Lima, juntando-se para o efeito ao percussionista Fritz Hauser, aos músicos da orquestra e a todos nós nesse recanto da música que se expressa em lamento e sentida homenagem.

Programa
J. Brahms 9 das Valsas Canções de Amor, Op. 52 e Op. 65, transcrições para orquestra
Olivier Cuendet Quadri (estreia absoluta)
L. v. Beethoven Suíte do bailado As Criaturas de Prometeu

Ficha técnica:

Fritz Hauser - percussão
Olivier Cuendet - maestro


15 €

Local: