Sopro

Festival Ao Largo

teatro
12 julho 2020
21h30
Palácio Nacional da Ajuda
Sopro

“Uma homenagem ao teatro e àqueles que o fazem”, leu-se no Le Figaro, aquando da estreia de Sopro no Festival d’ Avignon, em julho de 2017. A peça de Tiago Rodrigues passa-se num futuro mais ou menos próximo, num teatro em ruínas habitado por fantasmas que falam através do “sopro” de uma voz feminina.

Essa voz é a da Cristina Vidal, ponto no Teatro Nacional D. Maria II desde a década de 70 do século passado. Ao contrário da invisibilidade e do movimento na sombra a que compete o desempenho da função de ponto, aqui Cristina Vidal está à vista do olhar do espectador, tal como outro qualquer ator, para evocar memórias do teatro, as reais e as imaginárias. FB

Ficha técnica:

Teatro Nacional D. Maria II. Tiago Rodrigues, texto e encenação; Cristina Vidal, Beatriz Maia, Isabel Abreu, Marco Mendonça, Romeu Costa e Sara Barros Leitão, interpretação.

Local: