Escutar as Águas

Obras da Coleção Schneider e de Artistas Portugueses

artes
16 junho a 9 setembro 2018
todo o dia
vários locais
Escutar as Águas

Coincidência de opostos: recurso vital e motivo de conflitos mortais; lugar de viagem esperançosa e cemitério vergonhoso de abandonados; ameaça natural ao homem e irremediavelmente ameaçada por ele; símbolo de vida e de morte; imagem do tempo que passa, escapando-nos, e da eterna fonte original, útero maternal… É sobre este estatuto paradoxal das águas que a exposição se debruça. Cruzam-se obras da Coleção da Fundação François Schneider, que definiu a água como tema, com obras de artistas portugueses, mas também com filmes, documentos, livros e objetos que nos permitem aproximar da complexidade do elemento e da atualidade do seu impacto político.

 

A exposição propõe que não permaneçamos na margem, num alheamento falsamente seguro, mas que nos lancemos na corrente, conscientes de que estamos já embarcados.

 

 

Visitas comentadas pelos curadores no Museu do Dinheiro
23 de junho, às 16h30, por Paulo Pires do Vale
30 de junho, às 11h, por Sara Barriga
1 de setembro, às 16h30, por Paulo Pires do Vale

 

Visitas comentadas pelos curadores no Torreão Nascente da Cordoaria Nacional
7 de julho, às 11h, por Paulo Pires do Vale
21 de julho, às 16h30, por Sara Barriga
8 de setembro, às 11h, por Paulo Pires do Vale

 

 

Exposição - Quarta a sábado, das 10h às 18h (Museu do Dinheiro) | terça a domingo, das 10h às 13h e das 14h às 18h (Torreão Nascente)
Visitas - 60 minutos | Marcação prévia


Local: