Itinerários de Lisboa

março 2023

visitas guiadas
1 março a 31 março 2023
Divisão de Promoção e Comunicação Cultural
Itinerários de Lisboa

Os Itinerários de Lisboa levam os munícipes e visitantes à descoberta da cidade. Elaborados a partir de vários temas, abordam a vida quotidiana da cidade, o património edificado e literário, as ruas e as paisagens urbanas. Cada tema é preparado e conduzido por técnicos da autarquia, que definem o percurso e o percorrem a pé.

Programa:

1, 2, 8, 9 mar: 10h

AS QUINTAS DE SÃO DOMINGOS DE BENFICA
Pela beleza da sua paisagem, a zona de Benfica foi em tempos procurada pela aristocracia como estância de veraneio. Ao longo dos séculos XIX e XX sofreu grandes transformações provocadas pela expansão urbanística da cidade. Contudo, a sul da linha férrea, Benfica conserva um característico conjunto de edifícios classificados que relembram a paisagem descrita por Frei Luís de Sousa.

1, 17, 30 mar: 10h

TELHEIRAS – UMA URBANIZAÇÃO DO FINAL DO SÉCULO XX
A última urbanização pública em Lisboa ergueu-se no local onde, até aos anos 60 do século XX, existiu a Aldeia de Telheiras. Do pequeno aglomerado de casas, com igreja e convento fundados por um príncipe exilado, e das quintas que o rodeavam nasceu um bairro com um traçado próprio, distinguido com vários Prémios Valmor.

2 mar: 10h, 18 mar: 10h30

DA AVENIDA ALMIRANTE REIS À PRAÇA DO AREEIRO
Mais extensa que a Avenida da Liberdade, à qual é paralela, a Almirante Reis é uma das artérias mais movimentadas e contrastantes da cidade. Resultado do prolongamento da Rua da Palma para norte, testemunha a expansão de Lisboa no século XIX e a abertura de vários bairros ao longo do século XX. Ao percorrê-la encontramos diferentes estilos arquitetónicos e modos de construir e uma diversidade de formas de ocupar e viver os espaços, fruto das muitas culturas que aqui coabitam.

3 mar: 10h

BAIRRO DE ALVALADE – UMA URBANIZAÇÃO MODERNA
É uma referência no urbanismo lisboeta e nacional do século XX. Integrado num plano mais vasto, encomendado por Duarte Pacheco, o Bairro de Alvalade foi desenhado por Faria da Costa em 1945. Hoje é um dos bairros habitacionais mais apetecíveis, pela coerência e qualidade da arquitetura, pelo comércio de proximidade, pelos equipamentos e serviços disponíveis. Num percurso que passa pelas principais ruas deste bairro visitam-se alguns dos seus edifícios emblemáticos como a Igreja de São João de Brito ou o Palácio dos Coruchéus.

4 mar: 10h30

BAIRRO DA LAPA
Após o terramoto de 1755, nasceu um novo bairro em terras de Buenos Aires que pertenciam à Casa do Infantado e ao convento das Trinas. Para aqui refugiaram-se muitos dos lisboetas que escaparam à fúria da destruição e dos escombros do sismo. Ficou conhecido como o bairro da Lapa, devido a uma evocação de Nossa Senhora, cuja ermida já existia. Uma zona simultaneamente  popular e aristocrata, a conhecer num itinerário que percorre os principais palácios, ruas e capelas, a começar na Basílica da Estrela.

7, 9, 14, 21, 23, 28, 30 mar: 10h; 18 mar: 10h30

OS 100 ANOS DO PARQUE MAYER
Nos anos 20 do século XX surge no centro de Lisboa, em terrenos da família Mayer, um espaço de lazer e diversão que recebeu o seu nome. Durante décadas, o Parque Mayer foi conhecido e frequentado pelos teatros, eventos desportivos, restaurantes e diversões. Depois do seu apogeu e declínio, comemora-se agora o seu centenário, evocando todas as vertentes que o celebrizaram.

7 mar: 10h

200 ANOS DA SOCIEDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS DE LISBOA COLINA DE SANTANA – HISTÓRIA E CIÊNCIA
O bicentenário da SCMED é o pretexto para percorrer a colina de Santana ou a colina da saúde em Lisboa. Arrabalde da cidade até 1564, ano da criação da freguesia de Santana, foi sítio de palácios, conventos e residências senhoriais até se impor, no séc. XIX, como local privilegiado para o desenvolvimento da ciência, da investigação e da medicina.

10 mar: 10h

A ORDEM DOS TEMPLÁRIOS EM LISBOA
Em 1119, foi fundada em Jerusalém a Ordem do Templo ou dos Templários que teve um papel preponderante na Reconquista Cristã. Mais tarde foi extinta e, em 1319, reconvertida pelo rei D. Dinis, surgindo como Ordem de Cristo. Neste itinerário percorrem-se os lugares, igrejas e símbolos destas duas Ordens na cidade.

14 mar: 10h

CARNIDE ANTIGO
O culto e a devoção a Nossa Senhora da Luz, iniciados em 1463, trouxeram a Carnide, zona de quintas e solares, o povoamento e o desenvolvimento. Neste percurso, com início no Largo da Luz, percorrem-se as ruas, largos e conhecem-se os principais monumentos desta zona histórica.

15 mar: 10h

A REVOLUÇÃO DE 1820 E A CONSTITUIÇÃO DE 1822
As invasões francesas e a fuga do rei D. João VI para o Brasil geraram um descontentamento generalizado que culminou na Revolução Liberal de 1820. O movimento, que começa no Porto, tem em Lisboa o seu momento inaugural a 15 de setembro quando as tropas da capital se reúnem no Rossio e é anunciado um novo governo interino. Neste percurso, entre a Praça do Rossio e a Praça do Comércio, conhecem-se alguns dos principais locais e momentos desta revolta que mudou o país.

16 mar: 10h

AJUDA E BOA-HORA – MEMÓRIA DA LISBOA PALACIANA E POPULAR
Entre o Palácio da Ajuda e a Igreja da Memória existe um bairro por descobrir: a Boa-Hora com os seus quartéis, conventos e igrejas, pátios e vilas. Nesta visita percorre-se a História de um pedaço de Lisboa que começa com a chegada da corte após o terramoto de 1755.

17 mar: 10h

OS LOUCOS ANOS 20
Com o final da Primeira Guerra Mundial (1914-1918) o mundo entrou nos Loucos Anos 20. Em Portugal, ainda que de forma tímida, as novas modas surgem e são seguidas sobretudo por uma elite citadina. Este itinerário percorre o epicentro da vida cultural, mundana e boémia da Lisboa dessa época.

22, 23, 30 mar: 10h

JUNQUEIRA PALACIANA
Chamavam-lhe o Sítio da Junqueira devido aos juncos que cresciam abundantemente no local. Junto ao rio, esta zona era procurada pelos fidalgos que aqui ergueram palácios, alguns dos quais subsistem até hoje. Este itinerário é uma oportunidade para conhecer o Palácio dos Condes da Ponte, o Palácio Burnay, o Palácio Pessanha, o Palácio da Ega entre outros.

22 mar: 10h

ALCÂNTARA – ENTRE O RIO E A RIBEIRA
Alcântara significa “ponte” em árabe. Aqui existiu uma ponte romana e é daqui que parte a Ponte 25 de abril. Neste território rico em história e património encontram-se, lado a lado, vestígios de um passado aristocrático e religioso e testemunhos dos primórdios da industrialização em Lisboa.

22 mar: 10h

A RAINHA D. AMÉLIA DE ORLEÃES
Maria Amélia de Orleães nasceu em Inglaterra a 28 de setembro de 1865. Foi a última rainha portuguesa e da sua ação salienta-se a fundação do Dispensário de Alcântara, a Assistência Nacional aos Tuberculosos e o Museu dos Coches. Assistiu ao Regicídio e à Implantação da República e viveu no exílio. Um itinerário sobre a vida e obra da rainha pelo Bairro de São Paulo.

23 mar: 10h

PALÁCIOS E QUINTAS DA AMEIXOEIRA
Antigo termo rural de Lisboa, a Ameixoeira era uma estrada de saída para norte e um conhecido lugar de duelos no primeiro quartel do século XX. Entre as novas urbanizações e as antigas quintinhas saloias, descobrem-se paisagens surpreendentes, palacetes escondidos, uma igreja setecentista e um parque neoclássico.

24 mar: 10h

LISBOA NO REINADO DE D. DINIS
O rei D. Dinis nasceu em Lisboa em 1261, filho de D. Afonso III e de D. Beatriz. O seu reinado marcou uma época de desenvolvimento na cidade, quer ao nível comercial quer na área das letras. Poeta e trovador, aqui fundou a primeira Universidade do país. Num percurso entre as Portas do Sol e o Chafariz d’El Rei descobre-se a cidade da transição do século XIII para o século XIV.

24 mar: 10h

DO TERREIRO DO PAÇO A SANTO-O-VELHO
Partindo do Terreiro onde o rei D. Manuel fez o seu Paço, e prosseguindo pela zona ribeirinha, ganha ao Tejo por aterros sucessivos, chega-se à igreja que evoca os santos mártires de Lisboa, Veríssimo, Máxima e Júlia, local de culto desde o século IV DC.

28 mar: 10h

OS AMORES DE D. JOÃO V
O reinado de D. João V (1689-1750) ficou marcado pelo fausto e ostentação e a sua vida privada pelas inúmeras paixões que alimentaram intrigas na corte. Este percurso recorda histórias dramáticas, episódios rocambolescos e as mais célebres amantes do rei que ficou na história como o Magnânimo.

29 mar: 10h

DO LUMIAR AO CAMPO GRANDE – UM CAMINHO DE 900 ANOS
Partindo do antigo lugar do Lumiar, este percurso passa pelos palacetes e quintas da Alameda das Linhas de Torres e pelos seus jardins, hoje parques públicos, desembocando no Campo Grande e no Estádio de Alvalade.

31 mar: 10h

NUNO TEOTÓNIO PEREIRA – UM ARQUITETO DE LISBOA
No centenário do seu nascimento, recordamos um dos mais notáveis arquitectos da sua geração, um homem livre, cidadão independente, humanista, católico progressista. Projetou em Lisboa alguns edifícios e conjuntos icónicos como o Bloco das Águas Livres, o edifício Franjinhas, Prémio Valmor em 1971, e a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, pelos quais passa este percurso.

Brochura dos Itinerários de Lisboa (jan-jul 2023) aqui

 

Marcações: itinerarios.culturais@cm-lisboa.pt
218 170 742, a partir do 1.º dia útil do mês que antecede o itinerário, das 10h30 às 12h30 e das 14h30 às 16h30.
NÃO SE REALIZAM MARCAÇÕES PRESENCIALMENTE



Preçário a partir de março 2023
3,85 € - Bilhete simples (1 visita)
6,49 € - Bilhete duplo (2 visitas ou duas pessoas)
26 € - Voucher 10 Itinerários

Local: