Itinerários de Lisboa

janeiro e fevereiro

visitas guiadas
1 fevereiro a 26 março 2024
Divisão de Promoção e Comunicação Cultural
Itinerários de Lisboa

Os Itinerários de Lisboa levam os munícipes e visitantes à descoberta da cidade. Elaborados a partir de vários temas, abordam a vida quotidiana da cidade, o património edificado e literário, as ruas e as paisagens urbanas. Cada tema é preparado e conduzido por técnicos da autarquia, que definem o percurso e o percorrem a pé.

Programa:

fevereiro

1, 6, 8, 20, 27, 29 fevereiro: 10h
QUINTAS E PALÁCIOS DA CHARNECA
A freguesia de Santa Clara integra o lugar da Charneca, também conhecido como Charneca do Lumiar, ou Charneca de Sacavém, cuja existência formal, ou administrativa, remonta, pelo menos, ao século XIV. São muitos os elementos do património edificado que testemunham a antiguidade rural e palaciana desta zona, cuja história é desvendada neste percurso.

2 fevereiro: 10h
RAINHA D. AMÉLIA DE ORLEÃES
Maria Amélia de Orleães nasceu em Inglaterra a 28 de setembro de 1865. Foi a última rainha portuguesa e da sua ação salienta-se a fundação do Dispensário de Alcântara, a Assistência Nacional aos Tuberculosos e o Museu dos Coches. Assistiu ao Regicídio e à Implantação da República e viveu no exílio. Um itinerário sobre a vida e obra da rainha pelo Bairro de São Paulo.

6 fevereiro: 10h .
A CERCA FERNANDINA I – LANÇO OCIDENTAL
Entre 1373-1375 foi erguida em Lisboa, por ordem do rei D. Fernando I, a cerca fernandina para defesa da cidade das investidas castelhanas. Tinha à época 77 torres, 38 portas e 6 km de extensão. Nestes itinerários percorrem-se os dois lanços, ocidental e oriental, e contam-se histórias sobre a sua construção.

9 fevereiro: 10h
BAIRRO DA LAPA
Após o terramoto de 1755, nasceu um novo bairro em terras de Buenos Aires que pertenciam à Casa do Infantado e ao convento das Trinas. Aqui se refugiaram muitos lisboetas que escaparam à destruição do sismo. Ficou conhecido como bairro da Lapa, devido a uma evocação de Nossa Senhora, cuja ermida já existia. Uma zona popular e aristocrata, a conhecer num itinerário que percorre os principais palácios, ruas e capelas, a começar na Basílica da Estrela.

14, 15, 21, 22, 28 fevereiro: 10h
HISTÓRIAS DE AMOR EM LISBOA I
As histórias de amor de personagens conhecidas da vida de Lisboa, ou do país, são desvendadas nestes percursos que mostram locais de encontros e desencontros. Nem sempre felizes, algumas destas histórias abalaram a sociedade ou mudaram o curso da história.

16 fevereiro: 10h
CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DE NATÁLIA CORREIA – LISBOA DE NATÁLIA CORREIA
O bairro da Graça foi um dos territórios de Natália Correia em Lisboa, cidade para onde veio viver com 11 anos, vinda da Ilha de São Miguel, Açores. No epicentro estava o Botequim, espaço de liberdade que a escritora e poetisa abriu em 1971, com a sua amiga Isabel Meyrelles. No pequeno bar, marco na vida da cidade na segunda metade do século XX, tem início este percurso que passa pela rua e pela escola que levam o nome de Natália, recordando a sua obra, as suas causas e os seus amores.

20 fevereiro: 10h
COLINA DE SANTANA – HISTÓRIA E CIÊNCIA II
Desde a construção do Real Hospital de Todos os Santos, no Rossio, até à instalação do Hospital de São José no antigo Convento de Santo Antão o Novo, a Colina de Santana afirmou-se como um local privilegiado para a prática, o estudo e o desenvolvimento da Medicina. Neste percurso conhecem-se edifícios, personalidades e descobertas que marcam a história das Ciências Médicas em Portugal.

24 fevereiro: 10h30
A CERCA FERNANDINA II – LANÇO ORIENTAL
Entre 1373-1375 foi erguida em Lisboa, por ordem do rei D. Fernando I, a cerca fernandina para defesa da cidade das investidas castelhanas. Tinha à época 77 torres, 38 portas e 6 km de extensão. Nestes itinerários percorrem-se os dois lanços, ocidental e oriental, e contam-se histórias sobre a sua construção.

27 fevereiro: 10h
D. DINIS E A ORDEM DOS TEMPLÁRIOS EM LISBOA
Em 1119 foi fundada em Jerusalém a Ordem do Templo ou dos Templários que teve um papel preponderante na Reconquista Cristã. Mais tarde foi extinta e, em 1319, reconvertida pelo rei D. Dinis, surgindo como Ordem de Cristo. Neste itinerário percorrem-se os lugares, igrejas e símbolos destas duas Ordens na cidade.

março

5 março: 10h
AS GRANDES FORTUNAS DE LISBOA I
Lisboa, como capital do país, foi, ao longo dos tempos, o local escolhido para residência de muitas personalidades que acumularam grandes fortunas. O legado que deixaram à cidade, nomeadamente as casas que construíram e habitaram, podem ser hoje admiradas mas, na maioria dos casos, desconhece-se a história de quem lá viveu. Neste itinerário, desvenda-se a identidade e o percurso de alguns dos habitantes mais ricos de Lisboa.

5 março: 10h
MARVILA POPULAR
A ocupação humana na zona de Marvila remonta à Pré-História e prosseguiu, de acordo com vestígios arqueológicos encontrados, na época romana e visigoda. Foi lugar de conventos, quintas e palácios e, no século XIX, converteu-se numa área industrial. Um percurso que evoca a história e as tradições populares presentes neste bairro.

5, 7, 13, 14, 20, 21 março: 10h
Lumiar Antigo
O Lumiar Antigo foi em tempos lugar de conventos, palácios, quintas de veraneio e romarias. No século XVIII era descrito como “um sítio de nobres quintas, olivais e vinhas” onde abundavam vinho, trigo, cevada e azeite. Neste itinerário descobre-se o passado rural de uma das zonas da cidade ainda em expansão.

7 março: 10h
AS GRANDES FORTUNAS DE LISBOA II
Lisboa, como capital do país, foi, ao longo dos tempos, o local escolhido para residência de muitas personalidades que acumularam grandes fortunas. O legado que deixaram à cidade, nomeadamente as casas que construíram e habitaram, podem ser hoje admiradas mas, na maioria dos casos, desconhece-se a história de quem lá viveu. Neste itinerário, desvenda-se a identidade e o percurso de alguns dos habitantes mais ricos de Lisboa.

12 março: 10h
MITOS DE LISBOA. DA CONSPIRAÇÃO À REALIDADE
Lisboa é mesmo uma cidade de sete colinas? Foi fundada por Ulisses e dele recebeu o seu nome? Existem espalhados pela Baixa símbolos maçónicos deixados pelo Marquês de Pombal? Será mesmo D. Pedro IV que está representado na estátua do Rossio? Como qualquer cidade, Lisboa tem os seus mitos e lendas e alguns deles são desvendados neste percurso.

12, 22 março: 10h
INFANTAS E DAMAS DE LISBOA
Neste itinerário entre o Castelo e a Sé de Lisboa, evocam-se damas da corte e infantas que tiveram um papel importante na história da cidade, na expansão e na literatura portuguesa.

16 março: 10h30
COLINA DE SANTANA – HISTÓRIA E CIÊNCIA I
A colina de Santana, outrora conhecida como Campo de Curral, foi um arrabalde da cidade até 1564, ano em que foi criada a freguesia de Santana, assim chamada devido à existência de um convento com esta evocação. Zona de palácios, conventos e residências senhoriais, torna-se no século XIX num local privilegiado para o desenvolvimento da ciência, da investigação e da Medicina.

19 março: 10h
QUINTAS E PALÁCIOS DA CHARNECA
A freguesia de Santa Clara integra o lugar da Charneca, também conhecido como Charneca do Lumiar, ou Charneca de Sacavém, cuja existência formal, ou administrativa, remonta, pelo menos, ao século XIV. São muitos os elementos do património edificado que testemunham a antiguidade rural e palaciana desta zona, cuja história é desvendada neste percurso.

19 março: 10h
RAINHA D. AMÉLIA DE ORLEÃES
Maria Amélia de Orleães nasceu em Inglaterra a 28 de setembro de 1865. Foi a última rainha portuguesa e da sua ação salienta-se a fundação do Dispensário de Alcântara, a Assistência Nacional aos Tuberculosos e o Museu dos Coches. Assistiu ao Regicídio e à Implantação da República e viveu no exílio. Um itinerário sobre a vida e obra da rainha pelo Bairro de São Paulo.

21 março: 10h
A EVOLUÇÃO DA ARQUITETURA RELIGIOSA EM LISBOA I
Lisboa é um compêndio de História da Arte Religiosa a céu aberto. Apesar da destruição provocada pelo Terramoto de 1755, subsistem Igrejas de várias épocas e estilos que marcam a paisagem da cidade. Estes percursos mostram os exemplos mais representativos de cada período artístico.

26 março: 10h
OS ALFACINHAS
As figuras típicas de Lisboa, evocadas na olisipografia, na literatura e na arte são muitas, desde ardinas, cauteleiros, varinas, vendedores, entre outros. Neste itinerário evocam-se histórias, episódios, curiosidades e percorre-se parte da zona ribeirinha da cidade, desde o Cais do Sodré até ao bairro da Madragoa.

Brochura dos Itinerários 2023/2024 aqui

 

 

Marcações: itinerarios.culturais@cm-lisboa.pt
218 170 742, a partir do 1.º dia útil do mês que antecede o itinerário, das 10h30 às 12h30 e das 14h30 às 16h30.
NÃO SE REALIZAM MARCAÇÕES PRESENCIALMENTE



Preçário a partir de março 2023
4,15 € - Bilhete simples (1 visita)
6,95 € - Bilhete duplo (2 visitas ou duas pessoas)
27,95 € - Voucher 10 Itinerários

Local: