Este evento já ocorreu.

Uma Mística da Fragilidade

Bienal Fotografia do Porto

artes
9 junho a 10 julho 2021
vários horários
Brotéria
Uma Mística da Fragilidade

Neste período particular e atípico, é inevitável que se imponha uma reflexão acerca do momento global que atravessamos e no qual passámos a lidar quotidianamente com as dinâmicas do medo e da incerteza. A convivência com uma ameaça invisível, a demonstração da instabilidade dos sistemas e as alterações à forma como nos relacionamos voltaram a expor a vulnerabilidade da condição humana.

Convidada pela Ci.Clo a participar como curador na Bienal de Fotografia do Porto ‘21, a Brotéria convidou quatro artistas a abordarem com o seu trabalho esta acentuada relação com a fragilidade da própria experiência.

A exploração visual destas tensões entre vulnerabilidade e resiliência, solidez e fragilidade, luz e escuridão, morte e vida, este espaço aparentemente místico que oscila entre a força e a delicadeza tem uma longa história e uma simbologia recorrente. A tradição dos memento mori na pintura é composta pela representação dos objetos que remetem para a precariedade da vida – “lembra-te de que és mortal” – dizem a ampulheta, os vasos de vidro, as flores em decomposição.

Como que numa reinterpretação contemporânea destes símbolos, Alexandre Delmar, Catarina Botelho, Carla Cabanas e Duarte Amaral Netto mostram nesta exposição uma imersão sensível na abordagem estética da fragilidade e no próprio significado do sentir humano.

Através de imagem fotográfica, vídeo e som, podemos navegar esta antologia de sentires e alegorias, desenhados que são a partir da matéria do efémero, traçando um glossário de resiliência, detritos do dilúvio do tempo.

Segunda a sábado, das 10h às 18h


Ficha técnica:

Artistas: Alexandre Delmar, Carla Cabanas, Catarina Botello e Duarte Amaral Netto

Curadoria da Brotéria e Matilde Torres Pereira

Local: