O “Roman Porn” da Nikkatsu

10 filmes inéditos

cinema
18 junho a 22 julho 2020
Cinema Nimas
O “Roman Porn” da Nikkatsu

O Cinema Nimas exibe 10 inéditos do cinema japonês, 10 filmes do género Roman Porno (roman poruno), que os estúdios Nikkatsu criaram no início dos anos 70. A Nikkatsu, estúdio fundado em 1912, é um dos mais antigos do Japão, um dos maiores da Ásia, cuja história testemunha não só as transformações do cinema mas também da sociedade japonesa ao longo do século.

No início dos anos 70, com a concorrência da televisão a Nikkatsu teve uma queda muito grande de espectadores, para enfrentar as dificuldades financeiras  decidiu criar uma linha de produção de filmes de género, a que chamaria Roman Porno (Roman Poruno, ou “pornografia romântica”). A contra-cultura japonesa encontrou no género um terreno de experimentação inédito para os jovens realizadores com talento e que tinham vontade de correr riscos.

Assim nasceu e afirmou-se uma geração de cineastas talentosos entre eles Tatsumi Kumashiro, Noboru Tanaka, Masaru Konuma e Toshiharu Ikeda. Os estúdios Nikkatsu e o género Roman Porno acabariam por revelar verdadeiros “autores”.

O "ROMAN PORNO" DA NIKKATSU [1971-2016] – spot

A nova aposta da Leopardo Filmes traz a Portugal 10 filmes inéditos do género criado pelos estúdios japonoeses Nikkatsu: "Roman Porno" (ou "pornografia romântica"). São 5 cópias restauradas dos grandes mestres do género e 5 homenagens por 5 dos cineastas japoneses mais importantes de hoje. Estreia, em exclusivo, a 18 de Junho no Cinema Medeia Nimas e nas restantes salas Medeia em datas que anunciaremos brevemente.

Publicado por Leopardo Filmes em Sexta-feira, 5 de junho de 2020

Programa

18 a 23 junho

A SENHORA DE KARUIZAWA
De Masaru Konuma, com Miwa Takada, Takayuki Godai, Yumi Yoshikawa
Japão, 1982 ― 1h33 | M/18

Realizado por Masaru Konuma no âmbito do 70.º aniversário da Nikkatsu, este filme narra o romance proibido entre uma mulher casada, de classe alta, e um jovem estudante da classe trabalhadora que vai para Karuizawa, vila de férias da elite japonesa, em busca de um trabalho e de uma vida melhor. Uma homenagem à mulher que sofre e resiste, e uma narrativa que explora as desigualdades sociais no Japão e as barreiras entre classes, A Senhora de Karuizawa, que adapta livremente O Vermelho de o Negro de Stendhal, é de uma beleza sensual subtil e delicada.

18 a 23 junho

LÍRIO BRANCO
De Hideo Nakata, com Rin Asuka, Kaori Yamaguchi, Shôma Machii, Kanako Nishikawa, Yuki Enomoto
Japão, 2016 – 1h20 | M/18

Nakata entra no mundo da Nikkatsu como assistente de realização de Masaru Konuma, mas é com Lírio Branco que realiza o seu primeiro Roman Porno, fazendo um elogio ao seu mestre através desta homenagem a A Senhora de Karuizawa (1982). O drama lésbico é aqui reinventado através de um jogo de sedução e dominação de um erotismo perturbador, entre uma aprendiz de olaria e a sua professora, mestre, protetora e amante — “Eu não amo as mulheres, amo apenas a professora”. Apesar dos contornos perturbadores que resultam da entrada de novos personagens na sua dinâmica amorosa e profissional, esta é uma sublime história de amor sobre as dificuldades em ultrapassar uma paixão angustiante, e sobre a força e o crescimento pessoal necessários para isso.

————————————————————————————————–

25 junho a 1 julho

NOITES FELINAS EM SHINJUKU
De Noboru Tanaka, com Tomoko Katsura, Hidemi Hara, Ken Yoshizawa
Japão, 1972 ― 1h10 | M/18

Descrito por Toshio Takasaki como o auge formal do género, e inspirado em A Rua da Vergonha de Mizoguchi, Noites Felinas em Shinjuku é a obra-prima de Noboru Tanaka, um dos quatro grandes nomes do início do Roman Porno. O espírito dos anos 70 no Japão é aqui representado com um olhar sensual e político através das vidas das mulheres prostitutas do bairro de Shinjuku, entre o trabalho, as saídas com as amigas, e as suas relações de amor e sedução.

25 junho a 1 julho

O ALVORECER DAS FELINAS
De Kazuya Shiraishi, com Juri Ihata, Satsuki Maue, Michie
Japão, 2016 ― 1h25 | M/18

Um filme desafiante que presta homenagem a Noites Felinas em Shinjuku (1972), o Roman Porno de Noboru Tanaka, O Alvorecer das Felinas retrata a vida de três escort girls que trabalham para o mesmo patrão no bairro de Ikebukuro, em Tóquio. Os seus passados são diversos e complexos, assim como as suas razões para trabalhar como acompanhantes, mas todas sentem profundamente a solidão da sua vida urbana. Shiraishi retrata-as como num documentário, dando ênfase às emoções fortes e controversas de ódio, aversão e intriga, que se misturam paradoxalmente na energia com que procuram o amor e a felicidade. Uma sátira às dificuldades que as mulheres enfrentam na pobreza e aos problemas sociais do Japão, O Alvorecer das Felina descreve uma sociedade moderna de um ponto de vista jornalístico e com preocupações sociais.

————————————————————————————————–

2 a 8 julho

VÍSCERAS DE ANJO: RED PORNO
De Toshiharu Ikeda, com Jun Izumi, Masahiko Abe, Kyoko Ito
Japão, 1981 ― 1h07 | M/18

Vísceras de Anjo é uma série de nove filmes produzidos entre 1978 e 1994, entre os quais Red Porno de Ikeda foi o mais aclamado, trazendo-lhe uma celebridade de culto. Adaptado de uma série manga, este filme faz do desejo erótico uma questão social, constantemente ameaçado, sufocado e traído. Red Porno não faz uso das regras da série nem das condições do Roman Porno impostas pela Nikkatsu: retrata um universo de dominação, de assédio, de violência erótica e social, através da história de uma jovem lojista que aceita posar para uma revista erótica, e que se vê enganada e chantageada, tornando-se vítima dos seus desejos e exigências sexuais. Ikeda roda este filme à velocidade da cidade de Tóquio no início dos anos 80, ultrapassando o limite do sofrimento erótico.

2 a 8 julho

ANTI-PORNO
De Sono Sion, com Ami Tomite, Mariko Tsutsui
Japão, 2016 ― 1h16 | M/18

Anti-Porno é um filme radicalmente belo, de uma forma controversa e anarquista, onde a procura de liberdade é o fio condutor. O filme desenrola-se como uma matriosca, revelando novas realidades dentro delas próprias, revertendo papéis e criando ilusões, onde a personagem principal, uma estrela da J-pop caprichosa e excêntrica, é interpretada por Ami Tomite com uma frescura erótica e uma força visual tresloucada. Sono Sion presta aqui homenagem a Vísceras de Anjo: Red Porno (1981) de Toshiharu Ikeda, subvertendo o Roman Porno e transformando-o num mundo fantástico de uma enorme riqueza visual.

————————————————————————————————–

9 a 15 julho

OS AMANTES MOLHADOS
De Tatsumi Kumashiro, com Rie Nakagawa, Moeko Ozawa, Tetsue Oe, Kochi Hori, Akira Takahashi, Kunio Shimizu
Japão, 1973 ― 1H13 | M/18

Um dos grandes clássicos do Roman Porno, escrito e realizado pelo aclamado Tatsumi Kumashiro, Os Amantes Molhados (1973) narra a história de um jovem fugitivo dos Yakuza, que regressa à sua terra natal para trabalhar num cinema que projeta filmes eróticos, e que escapa ao aborrecimento ao cruzar-se com uma jovem de espírito livre com a qual desenvolve uma conturbada paixão. Um filme que transporta o espectador num turbilhão de sensualidade e paixão, encarnando uma verdade captada pelo cinema de Kumashiro: a do desejo e do prazer carnal como um direito das classes trabalhadoras.

9 a 15 julho

À SOMBRA DAS JOVENS RAPARIGAS HÚMIDAS
De Akihiko Shiota, com Yuki Mamiya, Tasuku Nagaoka
Japão, 2016 ― 1H18 | M/18

Apresentado em Locarno, Montreal, Sydney e Busan, À Sombra das Raparigas Húmidas é uma reflexão sobre a arte, o amor e o desejo, que narra a história de um jovem casal que se vê atraído para uma espiral de relações eróticas de enorme vitalidade e sensualidade. Shiota filma com uma ligeireza desconcertante as agonias da relação deste casal, ressuscitando o clássico do Roman Porno de Kumashiro, Os Amantes Molhados (1973), e inserindo-o num ambiente tórrido de um divertido encanto.

————————————————————————————————–

16 a 22 julho

O ÊXTASE DA ROSA NEGRA
De Tatsumi Kumashiro, com Shin Kishida, Naomi Tani, Meika Seri, Terugmi Azuma
Japão, 1975 ― 1H10 | M/18

Em Êxtase da Rosa Negra, Kumashiro traz ao ecrã a aclamada Naomi Tani, rainha das cordas e do BDSM, num dos seus papéis mais impressionantes. Um filme que se tornou um grande clássico do cinema erótico japonês subversivo, e que narra a busca de um técnico de som de filmes eróticos pelo gemido perfeito que ouviu uma vez num consultório de dentista ― é “uma história de amor filmada secretamente”. Cinéfilo apaixonado, Kumashiro tornou-se no mais prestigiado e reconhecido realizador do Roman Porno, indo buscar referências a Godard e à Nouvelle Vague francesa.

16 a 22 julho

GYMNOPÉDIES ESCALDANTES
De Isao Yukisada, com Itsuji Itao, Sumira Ashina, Izumi Okamura
Japão, 2016 ― 1H23 | M/18

O realizador Isao Yukisada, conhecido como um notável contador de histórias de amor com uma obra enorme e singular, leva a cabo com Gymnopédies Escaldantes uma ácida homenagem ao clássico do realizador de Roman Porno que mais admira: Tatsumi Kumashiro (O Êxtase da Rosa Negra, 1975). Gymnopédies Escaldantes narra a história de um realizador de meia idade, pouco íntegro, que trai repetidamente a sua mulher, mas que, apesar de tudo, conquista a compaixão e o afeto de várias personagens. É considerado o título mais sentido, romântico e amargurado dos Roman Porno, uma dura reflexão sobre a criação, de um erotismo intenso.

Ficha técnica:

Consultar horário das sessões no programa do Cinema Nimas

Local: