Morto o cão acabou-se a fúria

A vida de Luiz Pacheco

teatro
28 fevereiro a 3 março 2024
qua: 21h30; qui: 21h30; sex: 21h30; sáb: 18h; dom: 18h
Teatro do Bairro
Morto o cão acabou-se a fúria

Luiz Pacheco foi tudo na cultura portuguesa. Um escritor diferenciado, um editor requintado e um selvático polemista. Luiz Pacheco foi o cão, ou seja, a consciência da cultura portuguesa e levantou a voz quando escritores oficiais ou panfletários eram a norma. O percurso de Luiz Pacheco foi uma viagem política, estética e até geográfica de um proscrito, de um exilado interno e de um degenerado.
Que significam hoje todas estas palavras no meio da cultura?
Pode a cultura actual olhar para uma figura tão complexa e autêntica?
Porque é que temos a sensação de que autores como este aconteciam noutros tempos?
Como vive hoje essa sintaxe, o que podemos ter no nosso corpo dessa voz torcida até ao limite?

Ficha técnica:

Pablo Fidalgo Lareo, Cláudio da Silva e Carolina Dominguez, criação; Pablo Fidalgo Lareo, ideia original e texto; Cláudio da Silva, apresentação.


15 €, 8 € e 6 €

Local: