JSM: O cinema de Jorge Silva Melo

e Carta Branca sem Receita

cinema
9 maio a 31 maio 2022
Cinemateca Portuguesa - Museu do Cinema
JSM: O cinema de Jorge Silva Melo

A Cinemateca regressa, em maio, à retrospetiva e à carta branca interrompidas em março de 2020. Pensadas com Jorge Silva Melo, as duas vertentes do programa realizam-se agora sem ele; apresentadas há dois anos como Viver Amanhã como Hoje e Carta Branca 2020 têm, desta vez, os títulos O Cinema de Jorge Silva Melo (sublinhando a dimensão que persiste como a menos divulgada do seu raio de ação) e Carta Branca sem Receita (a partir do texto que então escreveu e foi distribuído). Aos títulos programados em 2020 acrescem mais sois, entre eles A Minha História de Teatro, série de nove pequenos filmes entretanto realizados.

Contando com a colaboração dos mesmos Artistas Unidos, a retrospetiva é uma apresentação integral da sua obra no cinema. Na Cinemateca, Jorge Silva Melo foi um protagonista presente em antestreias, projeções e programas dedicados aos seus filmes (desde 1983, ano da antestreia da longa-metragem inicial Passagem ou a Meio Caminho), respondendo a cartas brancas e programando sessões especiais.

A acompanhar a retrospetiva da sua obra, as 20 escolhas de Jorge Silva Melo em 2020, com a falha, por inacessibilidade de cópia de O Longo Adeus, de Kira Muratova. E um 21.º filme, um Lubitsch escolhido pela  Cinemateca em raccord com a sua última encenação, Vida de Artistas, levada à cena pelos Artistas Unidos no palco do Teatro São Luiz, onde estreou a 23 de março último: Design for Living. O texto de Jorge Silva Melo Carta Branca Sem Receita, divulgado em março de 2020, será publicado no catálogo.

Programação completa aqui

Local: