Boudoir

Martim Pedroso & Nova Companhia

teatro
30 janeiro a 10 março 2019
qua: 21h30; qui: 21h30; sex: 21h30; sáb: 21h30; dom: 17h
Teatro da Trindade INATEL
Boudoir

“A vós, voluptuosos de todas as idades e sexos, só a vós ofereço esta obra”, escreveu o Marquês de Sade, em tom de dedicatória, a abrir A Filosofia na Alcova. Mais do que um clássico da literatura erótica, espécie de versão mitigada, e até didática, de outros livros mais enigmáticos e radicais do autor (como Justine ou Os 120 Dias de Sodoma), a obra é, simultaneamente, uma antologia da libertinagem e um tratado filosófico de raiz republicana, anticlerical e anticristã. Composto por sete diálogos, este inclassificável texto centra-se numa espécie de viagem iniciática, sem limites nem tabus, da ingénua Eugénia pelas práticas carnais e amorais da “voluptuosa” Senhora de Saint-Ange e do “cínico” Dolmancé, representações modelares do pensamento de Sade.

Em Boudoir (quarto de senhora, especificamente destinado para receções intimas), Martim Pedroso e a Nova Companhia revisitam os “sete diálogos libertinos” à distância de mais de dois séculos, numa celebração da “liberdade do corpo e do pensamento (…) numa era em que a tendência é andar ao revés, em que aumentam as políticas de repressão e censura, lembrando outros tempos mais austeros que a História conheceu.” FB

Ficha técnica:

Nova Companhia. A partir de Marquês de Sade. Martim Pedroso, direção; Flávia Gusmão, João Gaspar, João Telmo, Maria João Abreu, Margarida Bakker, Martim Pedroso, Pedro Monteiro e Sofia Soares Ribeiro, interpretação.


10 € - (ver descontos)
8 € - quartas-feiras

Local: