A Ópera Chinesa

artes
2 janeiro 2018 a 30 novembro 2021
Museu do Oriente
A Ópera Chinesa

Ocupando todo o piso 2 do Museu, A Ópera Chinesa oferece uma visão abrangente deste singular género performativo em toda a sua diversidade e exuberância. Em exposição, cerca de 280 peças tais como trajes, perucas, toucados, modelos de maquilhagem, marionetas, gravuras, pinturas e instrumentos musicais, bem como fotografias e vídeos.

Considerada um dos tesouros culturais da China, a ópera tradicional surgiu em finais do século XI, agregando elementos de formas artísticas bastante mais antigas. É uma síntese de várias artes, que engloba canto, música, fala, mímica, dança, técnicas de maquilhagem, acrobacia e artes marciais com manipulação de adereços como armas, barbas e leques.

Tradicionalmente representada sem cenários, e com um vasto repertório, a principal característica da ópera chinesa é estar no ponto oposto do realismo. A voz nunca é natural e os movimentos, muito estilizados e simbólicos, exprimem os sentimentos da personagem de acordo com um rigoroso imperativo estético. É este universo pleno de simbolismo e grande riqueza material, que a exposição A Ópera Chinesa se propõe mostrar, através das histórias, objetos e personagens que a compõem.

Mergulhando os visitantes na experiência do espetáculo, na entrada da exposição encontra-se a reconstituição de um cenário de ópera, um vídeo de uma atuação, instrumentos musicais das óperas de Pequim e Cantão e a recriação do camarim da aclamada estrela operática Mei Lan-Fang (1894–1961).

 

 

 

 

 

Terça a quinta, sábado e domingo, das 10h às 18h, sexta, das 10h às 20h


Ficha técnica:

Curadoria de Sylvie Pimpaneau e Sofia Campos Lopes

Local: