Luz Obscura

Luz Obscura

De Susana de Sousa Dias

Depois de Natureza Morta e '48', a mais recente obra de Susana de Sousa Dias, Luz Obscura, propõe um olhar sobre como o sistema autoritário opera na intimidade familiar. O filme está em exibição no Cinema Ideal, de 10 a 16 de maio com várias sessões especiais que contam com a presença da realizadora e convidados.

Susana de Sousa Dias regressa às imagens fotográficas para contar a história daqueles foram esquecidos, à semelhança do que fez em 48 que realizou em 2009. “Que rede familiar se esconde por detrás de um único preso político?” é a pergunta a que a realizadora tenta responder com este novo trabalho. Ao pesquisar fotografias da polícia política portuguesa (1926-1974) Susana de Sousa Dias deparou-se com a única fotografia de cadastro que se conhece de uma mãe com um filho pequeno. A imagem impressionou-a e por isso mesmo decidiu procurar a criança nela retratada. Foi este o ponto de partida para o filme, uma obra que tenta demonstrar a influência que um sistema autoritário tem no seio familiar e de que forma as consequências desse domínio estão ainda presentes nos dias de hoje.

O filme guia-nos através dos testemunhos daqueles que, ainda pequenos, viveram os tempos da ditadura e que, por pertecerem a uma família que não se resignou, sentiram de perto o poder da PIDE.  Através das suas vozes - o som é um elemento fulcral no trabalho da realizadora - conseguimos sentir a dor e a mágoa que ainda hoje os marca. As suas palavras e descrições transportam o espetador até uma época e uma vivência que, embora cruel e terrível, não pode nunca ser esquecida. Luz Obscura cumpre o seu propósito: Exumar os mortos e dar a conhecer as histórias esquecidas pela memória colectiva.

O filme está em exibição no Cinema Ideal de 10 a 22 de maio e inclui várias sessões especiais que contam com a presença da realizadora e convidados.

[por Ana Figueiredo]

  • Programa:
  •  
  • 10 de maio: 19h15
  • Sessão de estreia
  • Com a presença de Susana de Sousa Dias, realizadora
  • Álvaro e Rui Pato, filhos de Octávio Pato, preso político
  •  
  • 11 de maio: 19h15
  • Crescer em Liberdade - A geração pós 25 de Abril e o Estado Novo
  • Com a presença de Susana de Sousa Dias
  • Miguel Tiago, Deputado do Partido Comunista Português
  • Ana Pato, filha de Octávio Pato, preso político
  •  
  • 12 de maio: 19h15
  • Memórias vividas do Estado Novo
  • Com a presença de Susana de Sousa Dias
  • Fernando Rosas, Historiador
  • Diana Andringa, Jornalista
  •  
  • 14 de maio: 19h15
  • Crescer em ditadura
  • Com a presença de Susana de Sousa Dias
  • Irene Pimentel, Historiadora
  • Luís Farinha, Director do Museu do Aljube

Relacionado

Rua do Loreto, 15/17
1200-10 Lisboa

NOVAS SESSÕES ESPECIAIS | LUZ OBSCURA

Cinema › Ciclos
18 a 22 mai/18
Rua do Loreto, 15/17
1200-10 Lisboa

Formulário de procura

Lisboa Cidade Triste e Alegre